sexta-feira, março 15, 2013

Certificação AIIM ECMp

Essa vale um post!

Acabo de ser aprovado no exame para obtenção da Certificação ECM Practitioner da AIIM (Association for Information and Image Management).


sexta-feira, março 08, 2013

A denúncia foi feita...

... e até agora, nada.

No início da semana apresentei a seguinte denúncia (?)... não, foi mais um pedido, um alerta... ao Corpo de Bombeiro do Estado do Rio de Janeiro. Além disso, o mesmo texto foi registrado famoso serviço 1746 da Prefeitura do Rio de Janeiro. E, claro, no twitter da Defesa Civil e da Prefeitura. E, como disse, até agora, nada. Reproduzo aqui, como forma de registro.

"Peço urgentemente que verifiquem a galeria comercial do nº 26 da rua Almirante Tamandaré, no Flamengo, Rio de Janeiro. Próximo ao Largo do Machado e próximo da Praça São Salvador, onde fica quartel do CBMERJ. Ontem houve curto-circuito que, embora externo (na lâmpada florescente que fica para a rua) demonstra a fragilidade das instalações. Se adentrarem na galeria, poderão perceber alguns extintores nas áreas comuns instalados acima de 2 metros de altura (não sou técnico, porém é visível que haverá dificuldade para retirá-los em caso de urgência). Além disso, a dúvida se impõe quanto a manutenção periódica de tais instrumentos. Outro fator agravante é o grande número de lojas de reparo e salões que utilizam equipamentos que geram calor e faísca, além de sobrecarregarem a rede elétrica que, possivelmente, não foi adaptada para tal tipo de consumo. As mesmas lojas que produzem calor e vapor (inclusive de solda) não possuem sistema de exaustão. A exaustão existente é interna, isto é, da loja para a área comum da galeria, onde circulam pessoas de todas as idades. A galeria também serve de armazenamento visivelmente inadequado de materiais utilizados pelos ambulantes. A galeria possui depósito de bebidas com equipamentos de refrigeração visivelmente sem manutenção. Muitos materiais, em determinadas ocasiões, ficam armazenados de modo a prejudicarem o tráfego de pessoas. Equipamentos das lojas, especialmente aqueles de refrigeração, ficam ligados ininterruptamente e a galeria não possui sistema automático de detecção e extinção de incêndio. Acima da galeria existem dois prédios residenciais que ficam sujeitos aos riscos citados acima. Tudo que foi informado pode ser verificado de forma simples, com o profissionalismo, conhecimento e boa vontades dos senhores."

Bem, é basicamente isso. Como podem ver, existem situações de risco facilmente evitáveis. Cabe as autoridades não fecharem os olhos. Nesse caso, até o momento, parece que minha mensagem foi escrita com tinta invisível. Denunciem!

Personagens da mitologia grega que inspiraram palavras


São sempre interessantes as semanas temáticas da "Palavra do Dia" do Dicionário Aulete. A última semana de fevereiro teve como tema os personagens da mitologia grega que inspiraram palavras. Além de instrutivo é, no mínimo, divertido. Vejam...

Eco (18/02/13)
Eco é um fenômeno físico em que se observa a repetição de um som devido à reflexão das ondas sonoras. Vem da palavra grega ekhó, que significa 'som' ou 'ruído'. Na mitologia grega, Eco era o nome de uma bela e jovem ninfa, muito articulada e que adorava conversar. O dom da fala, no entanto, trazia consigo um grande defeito: a ninfa falava demais e sempre queria dar a última palavra em qualquer conversa ou discussão. Em certa ocasião, Hera, desconfiada de que seu marido Zeus a traía com as ninfas, pretendia pegá-lo em flagrante. Zeus, acompanhado das ninfas e percebendo que Hera se aproximava, pediu que Eco usasse o seu dom da fala para distrair a esposa. Eco, que adorava conversar, atendeu prontamente o pedido. Hera logo descobriu o ardil e castigou a ninfa, punindo-a naquilo que ela mais amava: a fala. Eco foi condenada a não falar mais nada, a não ser repetir sempre as últimas palavras que os outros diziam.

Academia (19/02/13)
Apesar de mais utilizada atualmente para se referir a estabelecimentos em que se oferecem aulas de ginástica, danças, lutas etc., historicamente a palavra 'academia' foi mais empregada com o sentido de sociedade de caráter literário, artístico ou científico. Esta palavra surgiu do grego Academeia, o jardim onde Platão ensinava filosofia a seus pupilos na Grécia antiga. O local ficou conhecido por esse nome por abrigar o túmulo de Academos, um herói da mitologia grega. Desde a fundação da 'Academia de Platão', a palavra 'academia' passou a ser largamente utilizada para designar os estabelecimentos de ensino e, mais tarde, o termo passou a se referir a toda instituição de ensino superior, ou que congrega luminares da ciência, das artes, da filosofia etc. Muitas academias tornaram-se famosas através de tempos e lugares, nas várias áreas de sua atuação. O termo é usado também para fazer referência a um grupo de pessoas dedicadas à literatura, às artes e/ou à ciência. Entre as academias de letras, tornou-se paradigmática a Académie Française, cujo modelo inspirou a Academia Brasileira de Letras, fundada em 1896.

Morfina (20/02/13)
Morfina é uma substância extraída do ópio, usada na medicina como analgésico, sedativo e soporífero. Pode causar vício e, por vezes, é utilizada como droga de abuso. A substância foi composta pela primeira vez em 1804 pelo farmacêutico alemão Friedrich Wilhelm Adam Serturner, que lhe deu o nome em referência a Morfeu, o deus dos sonhos na mitologia grega. A partir da 1852, o surgimento da agulha hipodérmica tornou seu uso generalizado. Passou, então, a ser usada inadvertidamente no tratamento da dor, do alcoolismo e consumo de ópio (sabe-se hoje que as últimas duas utilizações não apresentam benefícios e são altamente perigosas). A substância foi utilizada na guerra civil americana, resultando em que cerca de 400.000 soldados ficaram com síndrome de dependência, devido ao seu uso impróprio. Em 1874, foi derivada da morfina a droga heroína, que se tornou uma droga social. Da mesma origem palavra 'morfina', veio a expressão 'cair nos braços de Morfeu', que significa cair no sono.

Anfitrão (21/02/13)
Anfitrião é a palavra que designa o indivíduo que recebe convidados para um encontro social, como uma festa ou um banquete. Na mitologia grega, Anfitrião foi um soldado que vivia com sua bela mulher, Alcmene. Convocado para a guerra de Tebas, Anfitrião foi obrigado a deixar sua mulher sozinha em casa. Zeus, o maior dos deuses gregos, sempre encantado pela beleza de Alcmene, aproveitou-se da situação e, transfigurado na forma de Anfitrião, seduziu Alcmene. Duvidando da fidelidade da esposa, Anfitrião se revoltou e causou uma grande confusão. No fim, tudo foi esclarecido por Zeus, e Anfitrião ficou contente por ser marido de uma escolhida do grande deus. Desde então, Anfitrião ficou conhecido como 'aquele que recebe bem os visitantes'. Da relação entre Zeus e Alcmene nasceu Hércules, o maior dos heróis da mitologia grega. Outra versão para o surgimento do sentido da palavra vem da peça teatral Amphytrion, de Jean Baptiste Poquelin. Durante o espetáculo, havia um grande vaivém dos personagens em uma casa. Os dicionários franceses teriam, então, utilizado a palavra para signar os indivíduos que recebem visitas.

Hermafrodita (22/02/13)
Hermafrodita é o termo utilizado para se referir aos seres que têm reunidos em si os dois sexos. Na mitologia grega, o filho dos deuses Hermes e Afrodite se chamava Hermafrodito. Por ter nascido de dois dos deuses mais belos da Grécia, Hermafrodito era um jovem rapaz de beleza estonteante. Salmacis, uma ninfa, apaixonou-se à primeira vista por Hermafrodito ao vê-lo banhando-se em meio à floresta e tentou agarrá-lo de qualquer modo. O jovem, no entanto, recusou o amor de Salmacis. Enquanto ele lutava por desvencilhar-se, ela suplicou aos deuses para nunca mais separá-los. Seu desejo foi concedido, e seus corpos se misturaram numa só forma, intersexual. A palavra 'hermafrodita' refere-se a Hermafrodito, após a união dos dois.

Mentor (23/02/13)
Mentor é uma palavra que se refere a uma pessoa experiente, que instrui e oferece conselhos a outra, como um guia ou um mestre. Pode se referir também à pessoa que planeja e dirige um projeto ou uma obra. A palavra tem sua origem no clássico épico Odisseia, atribuído a Homero. Na história, o herói Ulisses (ou Odisseu, em grego) confia suas propriedades e sua esposa, Penélope, aos cuidados de Mentor, seu melhor amigo, assim que parte para sua longa viagem. A bela Penélope, no entanto, começa a receber propostas de vários pretendentes. É quando Mentor a aconselha a esperar pelo retorno do marido, dando origem a uma palavra existente até hoje em diversos idiomas.